Ecobarcaventura

actividades desportivas e promoção regional

ORGÃOS SOCIAIS

Com a tomada de posse de todos os eleitos os Órgãos SociaIs ficaram assim constituídos:

DIREÇÃO
Presidente: Miguel Ângelo Barbosa Fernandes Rego
Vice-Presidente: José Florêncio Rodrigues da Silva
Secretário: Maurício Ventura Barros de Sousa
Tesoureiro: Carlos Bruno Marinho Varajão
Vogal: Sérgio Manuel Cardoso Martins
ASSEMBLEIA GERAL
Presidente: António Joaquim Garcia da Silva
1º Secretário: Verónica Patrícia Conceição Pereira
2º Secretário: Nuno Manuel Fernandes Freitas
CONSELHO FISCAL
Presidente: Rui Jorge Peixoto
1º Secretário: Sandra Maria Cardoso Martins
2º Secretário: João Manuel Rodrigues Mouta


VER ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO

VER REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO

O MOVIMENTO ASSOCIATIVO POPULAR

Elementos dinamizadores do desenvolvimento local e comunitário: O Associativismo e participação social em Portugal

A participação dos portugueses nas atividades associativas é bastante reduzida. A maior parte dos portugueses não pertence a nenhuma associação. O aumento da participação social, em Portugal, ocorre após o 25 de Abril de 1974, em virtude do abrandamento da pressão social e política em que o país se encontrava submergido.

Trata-se de uma atitude de rejeição de um mundo marcado, cada vez de forma mais vincada, pelo individualismo, pela manutenção e consolidação de privilégios, pelas assimetrias do desenvolvimento, pela descrença na atividade dos políticos e pela ausência de um mínimo razoável de solidariedade impedida de se manifestar pela imposição implacável de critérios puramente economicistas.

É essencial reconhecer a especificidade e a importância do associativismo, especialmente sob a sua forma cultural, desportiva e recreativa, na medida em que o seu funcionamento assenta numa lógica que não pertence nem ao domínio mercantil, nem aos objetivos centrais da estratégia que o movimento associativo deve elaborar.

OS VALORES DO ASSOCIATIVISMO
A evolução do Movimento Associativo Popular (cultura, recreio e desporto), aliás como todas as outras “famílias” do Associativismo em Portugal tem sempre como “pano de fundo” a sociedade em geral e, apesar de todas as mudanças verificadas, mantêm com grandes valores: Solidariedade; Autonomia / Independência; Democracia / Cidadania; Trabalho Voluntário e Benévolo, sendo espaços onde se exercem e reclamam direitos: de reunião, de associação, à cultura, ao desporto, ao lazer, ao protesto, à indignação. A uma vida autenticamente humana, a uma vida verdadeiramente feliz.
Está claro que a democracia interna é o fator decisivo do Movimento Associativo Popular, ontem, hoje e sempre.

A vida associativa só tem sentido quando vivida com intencionalidade ética, como caminho para agir, intervir e vivermos de forma plena a nossa cidadania.
O reconhecimento é a expressão do olhar da sociedade sobre o caminho que todos juntos vamos trilhando, de forma solidária.

Em jeito de conclusão,

Porque esta reflexão não é mais que um resumo e transcrição, de um blogue conforme link abaixo indicado, ao contrário da nossa Associação e porque o plágio é na melhor das hipóteses geralmente censurado pela sociedade, indicamos a fonte de onde foi condensada a informação:

http://efa-cidadaniaeprofissionalidade.blogspot.pt/2011/06/o-associativismo.html

PROPOSTA DE INSCRIÇÃO PARA ASSOCIADO

PARA APOIAR E PATROCINAR

A Direção

VOLTAR À PÁGINA INICIAL